terça-feira, 27 de setembro de 2016

FIQ Jovem - Aula 16 (Checkpoint!)

Um comentário
Alou! Veja só, estou cumprindo minha promessa de atualizar aqui. ahuahuahu


Bem, continuando o esquema das aulas do FIQ, volto com a número 16. 
Ah, claro, o menu (a quem interessar):

Aula 1 (Introdução e tirinhas)
Aula 2
Aula 3 (gêneros e quadrinhos)
Aula 4 - (Brainstorm e produção)
Aula 5 (layout)
Aula 6 (Mais layout)
Aula 7 (Layout de novo, mas com emoções)
Aula 15 (Construção de Personagem)

A aula de 24/09 foi tranquilona. Tivemos o tempo da aula para adiantar a produção e fizemos um checklist do que já havia sido feito até então. Eu já estava ansiosa, certa de que estava atrasadérrima, mas não foi bem assim (ufa!). Acaba que, por conta do trabalho e dos freelas, eu tenho só o domingo e a viagem diária de ônibus para desenhar, ou seja... haha Orz.

Enfim. 

Como não tenho nada realmente legal para mostrar (teria de tirar foto, e ain't nobody got no time for that), vou falar sobre o processo que estou fazendo (por hora) para um dos quadrinhos.

Não entrarei na questão da formulação da ideia porque meu processo é completamente aleatório. Eu pego palavras e elas viram personagens. E depois vem o plot.

Se quiser um exemplo, outro dia tava ouvindo um podcast e usaram a palavra "chafurdar" no meio do assunto. Meu cérebro meio que travou e a primeira coisa que veio na minha mente foi a imagem de uma pessoa mais velha, de capa de veludo azul, tentando se levantar da lama, mas sem forças para isso, caindo repetidamente. E pronto, o plot foi se expandindo pra frente e para trás e logo eu tinha um conto e um personagem legal.

Então, para todos os quadrinhos desse curso foi exatamente do mesmo jeito, com palavras e interpretações diferentes. Por isso, vou pular direto pra parte prática.

Comecei desenhando rascunho no papel dobrado, menorzinho. Antes disso eu imagino a história e organizo, ainda mentalmente, a ordem dos quadros, falas etc. Então passo para o papel deixando as coisas mais ou menos como espero que fiquem no final.

Daí redesenho na folha em A4, bem clarinho, e passo, com o lápis, novamente sobre os traços que eu quero que sejam mantidos na versão final. Ou seja, passo nos personagens e nas bordas de itens do cenário.



Em seguida eu escaneio (Não faço ideia do modelo do meu scanner, mas é sempre em 600dpi) e passo para o Paint Tool SAI. Ali eu subo o brilho e contraste até ficar apenas com a linha em evidência:

Daí eu transformo essa layer em Multiply nas opções de camada e crio uma nova embaixo, que é onde começo a colorir. Eu sempre faço camadas múltiplas para cada segmento do desenho, como pele, cabelo, roupas etc.

Esse processo é bem rapidinho, o que toma meu tempo é a definição de cores do quadrinho. Não, não pergunte sobre esse processo porque ele é super master blaster aleatório! Eu me sinto como aquele cão que está diante do computador e não faz a mínima ideia do que está fazendo.



Mas bem, eu vou testando uma a uma em várias camadas e, à medida que for gostando, vou salvando ali na esquerda, naquele campo maravilhoso para mistura de cores. Assim como faço com a moda Lolita, eu foco em combinar duas cores principais, porque é o máximo que meu cérebro consegue processar em termos de colorido. auhahuahuahuahu
WTF IS HAPPENING
E aí, é isso. Eu repito incessantes vezes até terminar tudo.
Uma coisa muito importante é que eu anoto todos esses passos para repetir ao longo do quadrinho, se não a chance deu chegar na segunda página, e já ter esquecido como foi o processo da primeira, é muito grande.

Quando eu tava fazendo aquele pra prevenção do câncer de mama, eu tive de refazer três vezes porque simplesmente não lembrava como tinha feito a página anterior... foi um sufoco! (e agora lembro que ainda não postei ele aqui! Farei isso logo!)

Então, pra hoje é isso.
Devo voltar logo aqui pra falar dos livros que venho lendo (comecei o do The Witcher essa semana e to devorando ele! É muito bom mesmo!)

Até lá!

sábado, 17 de setembro de 2016

FIQ Jovem - Aula 15 (Construção de personagem)

Nenhum comentário
Alou! Não, eu não me esqueci das aulas, nem de atualizar aqui. Esse mês está sendo doidão na minha vida, e muita coisa ta mudando aqui na minha rotina.



E é claro que continuo fazendo as 138123819379 coisas de sempre. Tenho de atualizar aqui sobre o Desafio Coord (que foi lindo!), A leitura de Cain, de José Saramago, Nós, Os Afogados, Os Dez Mil Imortais e sei lá quais outros livros (comecei O Rei Negro hoje! Ta prometendo na introdução). Tem também a compra das minhas primeiras Copics, minha construção de uma tabela de freelas, sobre a montagem de uma escrivaninha que comecei e um projeto de costura novo.

Mas isso fica pra quando eu tiver tempo de escrever com mais calma. Pra hoje, venho atualizar sobre a aula do FIQ e a continuidade das postagens dos quadrinhos. Aproveito para fazer um menu com todas as postagens de aula até agora:

Aula 1 (Introdução e tirinhas)

Aula 2

Aula 3 (gêneros e quadrinhos)

Aula 4 - (Brainstorm e produção)

Aula 5 (layout)

Aula 6 (Mais layout)

Aula 7 (Layout de novo, mas com emoções) 

Então vamos lá com a aula 15.
O tema de hoje foi todo voltado para a concepção de personagens levando em consideração coerência, forma, personalidade etc.

Uma das coisas mais legais foi a respeito de formas geométricas na construção da personagem, coisa que eu não consigo fazer ainda. Se o rosto não for ligeiramente redondo eu já começo a achar estranho. Ta aí mais uma coisa pra treinar.

 Acho que essa imagem é ideal para resumir o que vimos hoje:
Fonte: http://www.characterdesignpage.com/resources.html

Para leitura de referência, ficaram:
(Não conhecia nenhum dos dois!)

  1. Tom Gauld
  2. Cuttlas

Na segunda parte da aula tivemos a visita da Rebeca Prado (aquela de quem eu já comprei todos os lançamentos até agora) e ela nos falou um tanto sobre os arquétipos de Jung (lembra desse cara nos meus posts durante a faculdade? Claro que não, era em outro blog.) e sobre a importância da cara de pau de chegar nesses eventos de quadrinho oferecendo sua produção pras pessoas pra formar rede de contatos.

Tenho certeza de que já falei a respeito aqui no Blog, né? Na área literária é a mesma coisa. Saber socializar e saber chegar nas pessoas assim nessas feiras faz toda a diferença (não foi assim que o Caldela conseguiu avançar na carreira de escritor?). E se tem algo que preciso superar é isso. Geez! Como chega numa pessoa falando essas coisas? uahhuauha vou ter de me drogar no dia pra conseguir algo assim.

 ENTÃO,

O dever de hoje era levar as suas páginas finalizadas. Acabei levando a da história da menina Kamikaze (que levou a semana inteira pra ficar pronta):


Vou deixar pra falar do processo outro dia (tenho mil prints pra isso), mas já aviso que chegar nesses cores aí foi a maior tentativa e erro da vida da colorização.

Enfim, tive de refazer o quadro do meio, e tá ficando assim:

Algo melhor, né?
Vou tirar uns dias pra treinar perspectiva. Ô coisinha difícil de absorver, viu?!

E olha que interessante; O primeiro layout da história dessa personagem era idêntico ao layout final dessa versão de agora:


Ufa! 'Orz
A semana agora é para finalizar as próximas páginas e adiantar as 9dades que virão para esse último trimestre.

Até lá!

domingo, 4 de setembro de 2016

Resenha Literária: Segredos do Reino

2 comentários
Ei gente!

Alguns meses atrás eu falei sobre o evento de lançamento de Segredos do Reino aqui em BH, na Leitura do Shopping Pátio Savassi, você se lembra?


Foi no meio de julho, mais ou menos, que terminei de ler (depois de Nós, Os Afogados, sobre o qual ainda falarei a respeito por aqui), mas só agora achei tempo para fazer uma resenha digna desse lançamento super mineiríssimo!

Para quem não lembra do livro, aí vai um refresco para sua mente:


Segredos do Reino
Lucas Hargreaves
ISBN: 8542807197
Páginas:352
Lançamento: 2015
Preço: R$9.90
Editora: Novo Século
"O que uma princesa, um comerciante sem sorte, uma pintora excêntrica, o líder de uma quadrilha, um monge amnésico e um homem depressivo com apenas dez centímetros de altura têm em comum? Bem, por ora apenas um único objetivo: desmascarar o perverso rei Clausius perante a população do reino, destronando-o de uma vez por todas. Conseguirão eles lidar com todos os obstáculos que atravessam seu caminho, incluindo o próprio exército real?"
"Há peças demais no xadrez. É hora de chacoalhar o tabuleiro." - Rei Clausius 
Enfim, preparado?

O livro é um lançamento pela Editora Novo Século e foi escrita por Lucas Hargreaves, publicitário (e agora, escritor) daqui de BH mesmo!

Segredos do Reino

A história, super rica de personagens, tem o foco em dois arcos principais: O arco de protagonistas Miguel e Clarissa, e o arco do "vilão"  Clausius. Miguel é um jovem comerciante (responsável por um mini museu em Merquillian -  nome do reino) com um passado cheio de mistérios. E Clarissa é uma princesa, filha do antigo rei, hoje substituído por seu irmão, Clausius.

Uma das coisas mais legais do livro é essa divisão de storylines que colocam as duas narrativas em contraste, deixando claros os objetivos dos personagens "mocinhos" e do "vilão", garantindo acesso à linha de raciocínio de cada um deles.

Outra coisa que achei muito boa foi a variedade de personagens. Segredos do Reino remete àqueles bons RPGs que costumávamos jogar em consoles, a lá Chrono Trigger e Tales of, com uma party recheada de integrantes completamente diferentes que transformavam a experiência da aventura.

Miguel e Clarissa, depois de uma série de reviravoltas (que não vou contar aqui!), partem em uma jornada de fuga, e nesse caminho encontram Aramilon (um bandido super descolado! - meu favorito), B. Lunar (uma pintora tagarela), Jonas (um anão depressivo) e Abel (um dos personagens mais legais, sério! Ele renderá uma boa dose de risadas).

É na interação com esses personagens que a série vai ganhando corpo, dando mais força para a narrativa e construindo um sentido para a tal jornada. É revigorante encontrar, na literatura nacional, esse tipo de texto que nos prende e nos faz afeiçoar às personalidades tão bem construídas. Não duvido que logo surjam uns fandoms com os personagens de Segredos do Reino por aí, hahaha!

Falando em personagem, tomo agora a liberdade para falar sobre Pandora, a minha favorita nessa história toda! Ela faz parte do arco de Clausius, o rei super sádico de Merquillian.

Quadrinho que fiz para mostrar o Rei Clausius.

Na história, Pandora é uma mulher independente, super-poderosa-cheia-de-si, com um poder de transformação da narrativa que me encheu de expectativas. Os diálogos ferozes, a maneira como ela se porta (e garante autoridade mesmo diante do temido Clausius) e toda a mística que é construída ao redor da sua persona (para não falar no passado sombrio que cria a possibilidade de conexão com vários outros personagens da trama) criam um interesse impossível de ser negado. Sério, ela é maravilhosa, e torço demais para que ganhe mais páginas na continuação de Segredos do Reino.

Não sei exatamente o público que Lucas pretendia com esse livro, mas pela narrativa entendo que logo poderá ser um sucesso na transição do infanto-juvenil para jovens adultos. Segredos do Reino é uma narrativa fantástica, ambienta em um mundo medieval repleto de signos e particularidades próprias.


Vale a leitura, e o incentivo à literatura fantástica brasileira. <3